Onde Ir

IMG-BLOG
12/fevereiro/2021

Passeio de barco é aula de História sobre PB

Postado por Imprensa | 12/fevereiro/2021 | Onde Ir

As águas calmas do rio Paraíba, que percorre vários municípios paraibanos e desagua no oceano Atlântico, as margens de Cabedelo, vai ser cenário para contar a história sobre a ocupação da Paraíba desde o século XVI até os dias atuais. Por iniciativa da empresa Paraíba Travel, com assessoria da ONG Inpact de Pesquisa e Ação, foi lançado no último dia 7 de fevereiro, um o produto turístico: Passeio Vivenciando a História. O projeto visa também mostrar a importância de utilizar o Turismo, a História e a preservação do Meio Ambiente como ferramenta geradora de renda e consciência ambiental.

 

Navegando em um catamarã com capacidade para transportar até 100 pessoas, biólogos, historiadores e geólogos irão explicar em detalhes a importância do rio Paraíba, desde sua nascente em Monteiro, até sua desembocadura no oceano Atlântico, em Cabedelo. É uma oportunidade para o turista, estudantes e paraibanos, que desconheçam a história do rio e de Cabedelo, fazerem uma imersão na História da Paraíba sob o ponto de vista dos primeiros navegadores europeus (portugueses, franceses e holandeses). A viagem é de pouco mais de uma hora e meia. É tranquila, arejada e o trajeto tem início a partir do embarque no catamarã, no píer da praia do Jacaré, às 9h30. O trajeto segue até a ponte a ponte do Baralho, em João Pessoa, na divisa com a cidade de Bayeux. A vista do local é encantadora diante do Centro Histórico da capital paraibana.

Imagem aérea do barco e do percurso

Na viagem inaugural, a bióloga Karina Massei, da ONG Inpact, informou sobre as espécies marinhas que são encontradas no rio Paraíba, além da variedade de aves que ocupam os mangues ao longo do rio. A bióloga mostrou sua preocupação com a preservação do mangue e das espécies da fauna e flora. “A Paraíba ainda mantém, quase que intacta seu mangue, pois sabemos que com o avanço da atividade econômica nas cidades, a construção dos portos ocupa o mangue. Aqui em Cabedelo ainda podemos desfrutar dessa paisagem natural e preservada”, disse.

 

 

A apresentação do professor e historiador Alberto Black teve como objetivo fazer uma verdadeira imersão na história da ocupação portuguesa desde o descobrimento do Brasil. O historiador também contou as versões para o nome da praia do Jacaré: a existência de um antigo morador que possuía uma criação de jacarés e a outra sobre o hidroavião dos Correios que lembrava um jacaré ao pousar no rio Paraíba. O professor também exaltou a importância do rio para as atividades econômicas desenvolvidas na Paraíba: ciclos do açúcar, do algodão. Ele falou da construção do Porto do Capim, em João Pessoa, que iria desempenhar papel importante na expansão da cidade.

 

 

 

O empresário Tony Fernandes, da Paraíba Travel, informou que o projeto veio pra ficar. Segundo ele, as viagens ocorrerão uma vez por mês, sempre nas marés baixas e vai contar com as presenças dos especialistas da ONG Inpact. “É importante frisar que o rio Paraíba é conhecido pela sua navegabilidade difícil, isso desde a chegada dos portugueses. Então nossa proposta é realizar as viagens sempre na maré baixa e abrir para a participação de estudantes e turistas, sempre com o pessoal da Inpact vestidos à caráter”, garantiu. O professor Alberto Black informou que o rio Paraíba é um termo da língua tupi que se refere a “rio ruim”.

Reservas – A próxima viagem do projeto Vivenciando a História está programada para o dia 07 de março deste ano. As reservas podem ser feitas pelo site: https://www.passeioemjoaopessoa.com.br/

 

Fotos: Acervo Banco de Imagens PBTur/Marco Pimentel

0Shares


Onde ir?
O que fazer?
Onde Ficar?